Sua ansiedade matemática é contagiosa!

“Era uma vez uma criatura incompreendida chamada matemática, que vivia pelos cantos de uma pequena cidade. Matemática era muito esperta, e muitas vezes as pessoas da cidade perguntavam à ela questões sobre astronomia ou geografia ou arquitetura.

Mas Matemática também era conhecida por ser difícil, e a população da cidade não gostava muito de dar emprego para ela. Matemática deixava todos ansiosos. Eles diziam a seus filhos: ‘Não brinque com Matemática. Ela é estranha e chata. Faça amizade com alguém bom, como a Leitura’.

Então, as crianças evitavam a Matemática e ensinaram seus filhos a também evita-la e, sem o conhecimento da Matemática, os edifícios da cidade desmoronaram, os mapas perderam o sentido e as estrelas passaram a ser apenas luzes aleatórias e sem sentido no céu.”

math_anxiety

Essa pequena história não é muito sutil, mas como todo conto de fadas, tem uma importante lição. Estudos mostraram que pais de crianças da Educação Infantil ensinam muito menos matemática em casa do que outras matérias, como gramática e leitura. Estes mesmos pais relatam que a matemática é menos interessante para as crianças, que eles – pais – têm menos interesse ou conhecimento para ajudar seus filhos e que não deveria haver tanta ênfase no ensino da matemática nos anos iniciais da escola.

Pesquisadores atribuíram essa atitude, em parte, a um fenômeno conhecido como “ansiedade matemática”, que é exatamente como se diz: um sentimento de tensão e medo que impacta negativamente a performance matemática.  A alta ansiedade matemática tem mostrado que leva ao baixo desempenho matemático e um desejo de evitar qualquer envolvimento futuro com a matemática.

Interessante notar que, enquanto a baixa performance matemática pode ser resultado de ansiedade matemática, ela não parece funcionar de forma oposta; a ansiedade matemática não surge a partir da baixa performance. Mas ela tem que surgir de algum lugar, e uma hipótese muito popular é que a ansiedade matemática é transferida de figuras com grande força presencial, como pais e professores.

Pais com alta ansiedade matemática normalmente expressam atitudes ruins com relação à matemática, acreditando que esta matéria não é útil e tem pouca motivação para ter sucesso. Isso pode ter impacto negativo nas crianças, que normalmente desenvolvem alta ansiedade matemática e aprendem muito menos matemática ao longo do ano do que seus colegas. Pesquisadores têm sugerido, ainda, que crianças com pais matematicamente-ansiosos têm um melhor resultado quando seus pais não estão envolvidos diretamente na sua educação matemática.math-anxiety-1366x683-jl1 (1)

Ainda bem que, aparentemente, surgiu uma solução melhor – uma que permite até ao pai mais matematicamente-ansioso de influenciar positivamente a aprendizagem matemática de seu filho. A chave é oferecer aos pais suporte em casa, de forma que possam interagir com seus filhos de forma positiva – matematicamente falando. Enquanto este suporte poderia ter somente a forma de planilhas ou livros, ele também está sendo entregue através de jogos de computador e aplicativos digitais.

O aplicativo The Bedtime Learning Together , criado com propósito de pesquisa pela Universidade de Chicago, traz informações a pais e filhos com passagens curtas, seguidas por questões de compreensão matemática; por exemplo, uma breve história sobre os elefantes africanos requer que a criança pense se eles são mais altos que a tromba do elefante, ou a contar quantas presas existiriam em um grupo e elefantes. Pais e filhos têm a oportunidade de conversar sobre matemática por meio de cenários simples e envolventes.

Um estudo publicado na revista Science identificou que quando pais e filhos usaram o aplicativo para interagir com a matemática uma vez por semana, as crianças mostraram maior comprometimento com matemática ao final do ano letivo. Isso ficou mais evidente nas crianças com pais matematicamente-ansiosos: foi sugerido que a aprendizagem por meio de aplicativos de matemática ajudam a cortar o link entre a alta ansiedade dos pais e a baixa performance matemática dos alunos.

Um tablet, um aplicativo e algumas horas por semana: é tudo o que se precisa para se superar a ansiedade matemática e aumentar o comprometimento de seu filho. E, por que não? Você também pode aprender muitas coisas.

Texto adaptado de Nick Nedeljkovic – escritor freelancer e blogueiro de Sidnei, Austrália. Tem amor pela aprendizagem e muitas graduações. É um defensor da educação em todas as suas formas.