Ensinar matemática em 6 disciplinas

Por causa da forma como nosso Sistema de ensino é estruturado, muitos alunos pensam que matemática é uma matéria separada de ciências, educação física ou língua portuguesa, por exemplo. Mas, na verdade, matemática – cujo nome deriva de uma palavra grega que significa “conhecimento” ou “aprendizagem” – faz parte de tudo o que nós aprendemos. Afinal, matemática é fundamentalmente o estudo de padrões, e padrões são encontrados em todo lugar.

Entender esse conceito é um grande passo para os alunos.  Aprender a ver a matemática no dia a dia, transforma-a de um obstáculo complexo a uma ferramenta prática e divertida. Dwyane Wade, Taylor Swift, Jennifer Lawrence, os animadores de Bob Esponja são todos matemáticos. Da mesma forma, um aluno que odeia matemática e ama história é também um matemático – eles só não conseguem enxergar isso.

Se você integrar matemática nas suas aulas diariamente, você pode ensinar conceitos matemáticos até para o aluno mais resistente (e ele nem vai perceber que você está fazendo isso). Até mesmo associar a matemática às redes sociais (publicação com número limitado de caracteres, número necessário de curtidas em um post…)


Matemática e História

História é uma arena excelente para aprender matemática.
Aprender sobre datas e eras acaba “emprestando” espaço para tarefas simples como adição e subtração (por exemplo, há quantos anos aconteceu a Proclamação da República no Brasil?) Você pode até integrar estudando a história da matemática; aprendendo sobre os filósofos da Grécia Antiga você abre caminho para falar do Teorema de Pitágoras ou do Princípio de Arquimedes.

Matemática e Ciências

Ciências e matemática são, talvez, as matérias que mais se aproximam: ciências é, em sua essência, a aplicação prática da matemática. Todo princípio ou experimento científico – aceleração e velocidade, tabela periódica, reações químicas – reforçam os conceitos matemáticos. Cozinhar e jardinagem são excelentes para combinar matemática e ciências no ensino fundamental.

Matemática e Educação Física

Os alunos aplicam princípios matemáticos no campo da educação física sem nem perceber. Arremessar uma bola de basquete na cesta requer cálculo mental de distância, velocidade e força. Fazer 100 metros em uma aula de natação demanda atenção aritmética. Quantas chegadas em uma piscina de 25 metros serão necessárias para cumprir a tarefa? Se você respirar a cada três braçadas, quantas vezes irá respirar em cada trecho da piscina? Até mesmo equipamento esportivo pode ser útil para estudar padrões. Por exemplo: separar cones por cor, tamanho e forma.


Matemática, Arte e Música

Habilidades artísticas já são amplamente trabalhadas na matemática do ensino fundamental: desenhar e definir padrões, construir usando blocos, cortar formas para aprender simetria e misturar diferentes cores para criar novas cores. Música também se aprende no ambiente matemático. Conhecimento musical – com marcação de compasso e notas de tempos variados – é linguagem matemática. Música também pode ser usada como um recurso mnemônico para ajudar a memorizar informações matemáticas como tabelas de multiplicação.

Matemática e Língua Portuguesa

As matérias mais difíceis de integrar são, talvez, Língua Portuguesa e Matemática, mas não é impossível. Poesia, por exemplo, é geralmente baseada em padrões de rima que podem ser identificadas e analisadas pelos alunos. Quebra-cabeças de palavras (tanto resolver quanto criar) são uma boa prática para as duas matérias, ensinando os alunos a identificar palavras chave e a desenvolver habilidades gramaticais enquanto pensam “matematicamente”. Livros para as crianças menores normalmente envolvem contagem e padrões, e pode ser uma maneira fantástica de aprender a ler e a conhecer o básico da aritmética o mesmo tempo.

Texto traduzido e adaptado de Nick Nedeljkovic – escritor freelancer e blogueiro de Sydney, Austrália. Tem amor pela aprendizagem e muitas graduações. É um defensor da educação em todas as suas formas.