5 dicas para começar o trabalho colaborativo

 

As salas de aula modernas estão repletas de recursos úteis. De tablets a lousas interativas, de e-books a jogos educacionais online, há sempre uma série de informações valiosas na ponta dos dedos dos alunos. Mas com todas as distrações que o avanço tecnológico traz, pode ser fácil para os alunos negligenciarem um dos melhores recursos de todos: um ao outro.

O conceito de trabalho colaborativo existe desde a época de Aristóteles e seu famoso Liceu. A ideia por trás do aprendizado em duplas/grupos é que os alunos responderão melhor às tarefas ou orientações de um de seus colegas – alguém que está passando por experiências parecidas. Enquanto o professor fundamenta com a parte teórica, esta base é alinhada, reforçada e construída em parceria entre os alunos.

2013-08-30-14.28.47-2É como fazer parte de um time de futebol: o treinador fornece informações e conhecimento, mas é no treino, com outros jogadores, que as habilidades são desenvolvidas. Por meio da discussão, argumentação, compartilhamento e apresentação, os alunos são expostos a novas perspectivas, o que pode ajudar a aprender de forma mais efetiva e profunda. Desta forma, também são encorajados a desenvolver outras habilidades, como organização, pensamento crítico, comunicação e colaboração.

A tutoria em duplas também traz benefícios além do pedagógico. Colocando lado a lado alunos novos e experientes, pode facilitar a transição do que pode ser um ambiente intimidativo para aquele que está chegando. Ao unir alunos mais novos com alunos tutores mais velhos, pode-se proporcionar um ambiente mais confortável no qual os mais novos sentem-se capazes de expressar ideias, enquanto desenvolvem habilidades pessoais com aqueles que estão fora de seus círculos sociais habituais. Estudos têm mostrado que o trabalho entre alunos de diferentes idades é benéfico para ambos os lados.

Veja algumas dicas de como implementar o trabalho colaborativo em sua classe:

  1. Defina objetivos claros para o programa. Quais ideias ou habilidades estão sendo compartilhadas? O que os alunos devem ganhar com a proposta?
  2. Agrupe seus alunos de forma inteligente. Escolha tutores que são sociais, seguros e que tenham um bom entendimento do assunto.
  3. Esteja o tempo todo com as duplas, dando suporte. A tutoria em duplas é um complemento do processo ensino-aprendizagem guiado pelo professor, não uma substituição dele.
  4. Use os recursos que estão à mão. Com a supervisão adequada, computadores e internet podem ser excelentes formas de os alunos aprenderem com sua dupla para além dos muros da escola.
  5. Avalie constantemente a eficácia da proposta. Como os alunos estão respondendo pedagógica e emocionalmente? Eles estão fazendo progressos significativos? Se sua turma não estiver atingindo os objetivos traçados, o programa pode precisar de ajustes.

 

Nick Nedeljkovic – escritor freelancer e blogueiro de Sidnei, Australia. Tem amor pela aprendizagem e muitas graduações. É um defensor da educação em todas as suas formas.